Centro de Defesa e de Convivência da Mulher / CISM I / Associação Fala Mulher

Objetivos: apoiar e fortalecer mulheres em situação de violência doméstica e sexual.

 

Atividades desenvolvidas: o Núcleo – CISM I atende, sob a ótica da interdisciplinaridade, mulheres em situação de violência doméstica e sexual, oferecendo-lhes atendimentos psicológico, social e jurídico, atividades sócio-educativas e terapêuticas. As atividades desenvolvidas no Núcleo – CISM I têm como objetivo proporcionar condições favoráveis, para que a mulher possa desenvolver sua autonomia, descobrir suas forças, tomar decisões e adquirir maior controle sobre suas vidas.

 

Como é o atendimento: o acolhimento é atribuição do profissional de assistência social, sendo que na ausência deste, pode ser realizado por uma das técnicas ou mesmo pela coordenadora do serviço, sendo traduzido pelo momento em que a usuária chega ao Núcleo. Neste primeiro momento, é realizada uma escuta diferenciada e cuidadosa do caso, com vistas a oferecer à mulher um ambiente reservado e tranqüilo, onde possa sentir-se segura para contar de si, suas experiências, angústias e afetos. É através desta escuta que é avaliado o grau de risco em que esta mulher está submetida, quais as primeiras providências a serem tomadas e encaminhamentos a serem efetuados.

 

Condições para o atendimento: atende mulheres adultas, em situação de violência doméstica e/ou sexual da cidade de São Paulo.

 

Equipe: coordenadora; assistente social; advogada; psicóloga; orientadora socioeducativa; auxiliar administrativa e agente operacional.

 

Período de atendimento: das 9 às 18 horas, de segunda à sexta-feira (dias úteis).

 

Dados para contato:
Rua do Fico, 234, Ipiranga
CEP:04201-000 São Paulo – SP
Telefone: (11) 2272 04 23
Site: http://www.falamulher.org.br/projetos.php

As casas-abrigo são serviços estruturados para acolher e proteger mulheres em situação de violência doméstica e/ou conjugal, quando há risco de morte. Tem limitação de tempo de permanência (alguns meses) e costumam abrigar a mulher e seus filhos ainda crianças. Há limitações quanto aos adolescentes, que costumam ser encaminhados a outros locais de moradia segura, preferencialmente entre os familiares.

Os endereços são sigilosos, para a segurança das abrigadas, e os contatos são feitos nas Delegacias de Defesa da Mulher ou em Centros de Referência. Nestes serviços costuma-se fazer avaliação de risco antes do encaminhamento ao abrigo.

O abrigamento é o ultimo recurso para a proteção das mulheres que sofrem violência, e é indicados para os momentos em que há risco de vida iminente, e quando não há outro lugar seguro para a mulher ir. Para garantir a segurança e o sigilo sobre seu paradeiro, são necessárias algumas restrições: a mulher não pode ter contato com os familiares e pessoas que o agressor conheça. Ela e os filhos também devem deixar de circular pelos lugares de costume, e com isto, trabalho e escola devem ser interrompidos ou trocados. Por isso, é muito importante avaliar os riscos e orientar as mulheres sobre o tipo de proteção que um abrigo pode oferecer.

Além de proteger, atender e abrigar, muitos abrigos desenvolvem atividades que visam à reestruturação da vida, à superação da situação de violência e da vitimização.

 

Centro de Defesa e Convivência da Mulher II / CISM II / Associação Fala Mulher

Objetivos: apoiar e fortalecer mulheres em situação de violência doméstica e sexual.

 

Atividades desenvolvidas: o Núcleo – CISM II atende, sob a ótica da interdisciplinaridade, mulheres em situação de violência doméstica e sexual, oferecendo-lhes atendimentos psicológico, social e jurídico, atividades sócio-educativas e terapêuticas. As atividades desenvolvidas no Núcleo – CISM II têm como objetivo proporcionar condições favoráveis, para que a mulher possa desenvolver sua autonomia, descobrir suas forças, tomar decisões e adquirir maior controle sobre suas vidas.

 

Como é o atendimento: o acolhimento é atribuição do profissional de assistência social, sendo que na ausência deste, pode ser realizado por uma das técnicas ou mesmo pela coordenadora do serviço, sendo traduzido pelo momento em que a usuária chega ao Núcleo. Neste primeiro momento, é realizada uma escuta diferenciada e cuidadosa do caso, com vistas a oferecer à mulher um ambiente reservado e tranqüilo, onde possa sentir-se segura para contar de si, suas experiências, angústias e afetos. É através desta escuta que é avaliado o grau de risco em que esta mulher está submetida, quais as primeiras providências a serem tomadas e encaminhamentos a serem efetuados.

 

Condições para o atendimento: atende mulheres adultas, em situação de violência doméstica e/ou sexual da região norte da cidade de São Paulo.

 

Equipe: coordenadora; assistente social; advogada; psicóloga; orientadora socioeducativa; auxiliar administrativa e agente operacional.

 

Período de atendimento: das 9 às 18 horas, de segunda à sexta-feira (dias úteis).

 

Dados para contato:
Rua Ferreira de Almeida, 23, Casa Verde
CEP:02517-150 São Paulo – SP
Telefone: (11) 3858-8279
Site: http://www.falamulher.org.br/projetos.php
Ponto de referência: em frente ao antigo prédio da Manchete.

Casa da Mamãe – Fundação Francisca Franco

Objetivos: propiciar à mulher e a seus filhos em situação de violência doméstica  proteção, segurança e condições de buscar alternativas de vida.

Atividades desenvolvidas: proporciona condições de reestruturação para mães e crianças através de atividades individuais e grupais, encaminha para  agências de emprego, escolas, cursos profissionalizantes etc. Encaminha também para serviços de assistência a saúde, jurídica e psicológica.

Como é o atendimento: o atendimento é mediante entrevista de triagem, que deve ser marcada por telefone das 8 às 17 horas.

Condições para o atendimento: mulher com mais de 18 anos, com ou sem filhos menores de idade, em situação de violência doméstica.

Equipe: uma coordenadora (psicóloga), uma técnica (psicóloga), seis educadoras e uma cozinheira.

Período de atendimento: das 8 às 17 horas, de segunda à sexta-feira, para agendamento de entrevista de triagem.

Dados para contato:
Fundação Francisca Franco
Telefone: (11) 3120 23 42 ramal 24.

COMVIDA – Centro de Atendimento para Mulheres Vítimas de Violência Doméstica

Objetivos: acolher e proteger mulheres em situação de violência doméstica e/ou conjugal, quando há risco de morte.

Atividades desenvolvidas: proteção, abrigamento e ações que visam à reestruturação da vida, à superação da situação de violência e da vitimização.

Como é o atendimento: a partir da avaliação realizada pelos profissionais das delegacias, a mulher em situação de violência e risco iminente de morte e aconselhada e orientada para o encaminhamento à instituição. Internamente, são orientadas e acompanhadas para as atividades diárias e coletivas. Tem limitação de tempo de permanência (alguns meses) e costumam abrigar a mulher e seus filhos ainda crianças. Há limitações quanto aos adolescentes, que costumam ser encaminhados a outros locais de moradia segura, preferencialmente entre os familiares. Para garantir a segurança e o sigilo sobre seu paradeiro, são necessárias algumas restrições: a mulher não pode ter contato com os familiares e pessoas que o agressor conheça. Ela e os filhos também devem deixar de circular pelos lugares de costume, e com isto, trabalho e escola devem ser interrompidos ou trocados.

Condições para o atendimento: ser mulher, ter mais de 18 anos e caso tenha filhos, abriga os menores de 13 anos. Apresentar o boletim de ocorrência.

Período de atendimento: atende 24 horas. O encaminhamento é realizado pelas DDMs e acontece de acordo com o horário de cada unidade. Verificar os critérios de atendimento das DDMs.

Dados para contato:
Delegacias de Defesa da Mulher

 

 

Pryzant Design